Olhar Crítico

Sinos

Começo meus aforismas dominicais vos perguntando, meus caros leitores, por que as prefeituras da Comarca precisam fazer blitz para preservar a vida? Existem aqueles que podem observar nessa pergunta um tom jocoso, entretanto, não tem nada disso e nem jogo textual, mas apenas a perplexidade de um cidadão diante do descaso da população para com o problema envolvendo a pandemia. Como naquele refrão dum poema medievalista: “para quem os sinos dobram”, a quantidade de mortes e de pessoas infectadas diariamente com a variante letal do H1N1 é enorme e, nem assim, os indivíduos entendem que é necessário acatar as medidas determinadas pelos cientistas e pela ciência. É lamentável analisar os dados diários e os discursos que emanam da sede do governo federal na capital candango desdenhando sempre do que a razão indica.

 

Máscaras

Eu cá, do meu lado, da escrita, espero que o prefeito penapolense não caia no canto da sereia e embarque na carruagem do governo federal que desejar tirar a obrigatoriedade daqueles que se vacinaram usar as máscaras. Medida temerária, para não dizer, mortífera, caso a população se deixe levar pelo no conto do vigário, acreditando nas panaceias palacianas. É interessante notar que em todos os lugares do globo, as autoridades governamentais trabalham em prol da vida, mas aqui há um apego excessivo ao negacionismo e qual será o motivo de tal postura? Politiqueiro. Em 2022 haverá eleições livres e democráticas e alguns líderes e seus braços teologais sonham com uma pátria autoritária e administrada por falaciosos políticos que pensam mais em si e em seus familiares do que na população.

 

Dados

Até o momento em que essas linhas eram confeccionadas, as informações davam conta de que o número de casos de Covid-19 em Penápolis ultrapassou a casa dos 1.230 e a quantidade de óbitos superou as duas centenas. O que provoca espanto e indignação é que nem assim as pessoas se solidarizam com o pesar de quem perdeu entes querido nesta pandemia e continuam circulando sem a devida necessidade pelas ruas da cidade, não usando máscaras e os devidos cuidados, por exemplo, o distanciamento mínimo de 1,5m entre os sujeitos sociais. Sendo assim, como é possível desenvolver um sentimento de solidariedade entre os indivíduos e uma ética racional de conduta na qual todos sejam contemplados, independentemente da condição econômica que são possuidores?

 

Ficção

O lendário prefeito de Sucupira, Odórico Paraguaçu, personagem folclórico criado pelo teatrólogo Dias Gomes (1922-1999) dizia em sua sabedoria politiqueira que havia uma distinção clara entre democracia e democratura. Segundo o político, na democracia o povo indicava os governantes e na democratura os governantes quem escolhiam os eleitores que votariam neles. Machado de Assis (1839-1908), um dos grandes nomes da literatura universal, tem diversas crônicas enfatizando o processo eleitoral no Brasil Oitocentista que ilustram as tentativas no plano concreto da existência brasileira: o desejo de líderes se tornarem autocratas, sufocando a democracia e os princípios constitucionais que regeram a vida desta Nação nas últimas três décadas.

 

Incapacidade

Por que será que o literato russo Fiódor Dostoievski (1821-1881), escrevendo lá de sua Rússia feudal na segunda metade do século XIX, pode ser útil para ilustrar o que acontece neste Brasil nas duas primeiras décadas do Terceiro Milênio? Segundo o escritor, “o homem social é incapaz de tolerar a liberdade e está disposto a trocá-la pelo líder que lhe garanta pão e segurança”. Com a palavra, ou melhor, a escrita os meus caros leitores que poderão responder a este colunista ou a si mesmos, porém, duma coisa eu tenho plena convicção: quem compreende a liberdade em hipótese alguma a trocará por autocratas e aqueles que defendem ditaduras sanguinárias, torturadores, jamais poderão ser favoráveis à vida. Usam e abusam do terror contra seus semelhantes para se perpetuarem no poder. E não afirmo isso olhando para o lado dos chamados governos de direita, mas também os totalitarismos de esquerdas, semelhantes ao stalinismo.

 

História

É interessante recordar que depois da Revolução Francesa em 1789 e seu significativo lema: liberdade, igualdade e fraternidade, seguido pelo verbete dos enciclopedistas, segundo o qual, o cidadão com cidadania poderia não concordar com o que seu interlocutor estivesse dizendo, mas defenderia eternamente o direito deste falar, houve um período tenebroso chamado “Terror”, cuja figura mais emblemática foi o advogado Maximilein de Robespierre (1758-1794) que comandou esse momento nevrálgico na França pós-revolução. Entre as várias vítimas desse período, tem o advogado revolucionário burguês Georges Jacques Danton (1759-1794), guilhotinado.

 

Liberdade

Mas o que é mesmo essa tal de liberdade? Seria um produto tão raro quanto a felicidade e por isso as pessoas fazem de tudo para alcançá-la, contudo, sem saber ao certo o seu real significado? Acho que vale a pena a leitura do livro Quatro ensaios sobre a liberdade, do pensar Isaiah Berlin (1909-1997). Tudo me parece muito semelhante à democracia. Muitos bradam por ela, fazem passeatas, comícios e outras ações, mas quando estão na condição de comando, a primeira coisa que desejam é retirar do povo a voz e a tal da liberdade, criando diversos mecanismos no sentido de dizer que o eleitor de outrora, hoje não tem condições para decidir, portanto, precisa ser tutelado pela mão massacrante de quem está no poder, mesmo que seja um micro poder.

 

Feijoada

Nesse período do ano em que as baixas temperaturas costumam nos visitar como essa que massa de ar fria que chegou depois das chuvas da última quinta-feira, a recomendação é, além de agasalhos, ingestão de vitamina C, comidas que podem auxiliar na combustão de calor que o corpo precisa para se aquecer. E foi pensando nisso que a Igreja do Nazareno de Penápolis promoverá no próximo sábado, 19, a tradicional feijoada. O evento se destina à construção da sede da organização religiosa. A entrega da iguaria africana acontecerá na avenida Marginal Maria Chica, 1695, das 12h às 14h.

 

Solidariedade

Destaco aqui também a ação dos integrantes do grêmio estudantil da escola estadual Yone Dias de Aguiar que arrecadou uma significativa quantidade de alimentos junto à sociedade penapolense. Os produtos, de acordo com a direção da unidade educacional, serão destinados às entidades assistências da cidade. Parabéns aos alunos e a todos os envolvidos na ação de solidariedade.gilcriticapontual@gmail.com, d.gilberto20@yahoo.com,   www.criticapontual.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *