Olhar Crítico

Prevenção

No momento em que meus leitores estiverem conferindo as linhas que se seguem, a cidade está realizando os últimos preparativos para que os moradores mudem suas rotinas em virtude da pandemia que assusta o mundo a partir da China. Claro que o assunto é um só e, independentemente das preferências ideológicas, políticas e religiosas, todos, indistintamente devem colaborar para que a doença cause o menor impacto possível. Medidas estão sendo adotadas objetivando o bem-estar da população, portanto, o comércio a partir de amanhã não funcionará pelos próximos 15 dias, somente aqueles estabelecimentos vitais para o povo – que precisa adquirir com responsabilidade, pois não adianta achar que só o consumidor precisa, pois as medidas restritivas atingem a todos.

 

Devastação

Não adentrarei na chamada “sinuca de bico”, buscando culpados para isso e aquilo, pois o momento não é esse, entretanto, algumas autoridades federais, de acordo com seus discursos verborrágicos, distorceram os fatos, colocando grande quantidade de brasileiros em risco. Mas vamos pensar no presente e tentar evitar que os estragos sejam maiores do que os que já vem sendo provocados pelo vírus devastador. Por onde circula, deixa um rastro mortífero e um choque anafilático, cheirando a morte, naqueles que conseguem estar presente na existência, após a passagem do furacão que está no ar sem ser visto a olho nu, como muitos “reis” estão agora, confinado em suas masmorras. O espirro maléfico está varrendo status, arrogância, prepotência e aqueles que tentam se apegar a essas velhas quinquilharias mercadológicas precisam repensar suas querências e o fato de não ficarem circulando por aí, faz com que tenham que voltar-se para dentro de si mesmos.

 

Distrações

Mas enquanto escarafuncham suas consciências pesadíssimas, entendo que é possível encontrar algumas distrações significativas enquanto o furacão trazido pelo espirro assombra o tempo todo aqueles que ficam lá fora passeando com seus possantes automóveis. Há esforços por parte de diversos segmentos sociais, como a indústria do entretenimento, além das redes sociais e o retorno da população às emissoras de TVs, sejam os canais abertos ou fechados e a liberação de diversas plataformas para que as pessoas possam assistir filmes, séries e outros programas. Eu do meu lado, já separei algumas coisas que entendo serem úteis nesses dias de restrições. A minha lista vai de livros, romances, contos, filmes, séries e músicas – algumas delas ouvidas diariamente, tamanha importância que têm em minha existência.

 

Hermetismo

É possível lermos obras filosóficas, inclusive há vários sites que auxiliam nessas leituras interpretativas, às vezes intricadas devido aos vocabulários meio herméticos. Mas existem romances significativos que, ao seu termino, pode deixar-nos um grande legado para depois que o vendaval, provocado pelo vírus, passar. Para aqueles que gostam de História do Brasil, mesmo não sendo profissional da área, recomendo os três volumes da série dedicada a ao ex-presidente Getúlio Vargas, escritos pelo jornalista Lira Neto. Tem também as obras “Diários da presidência” confeccionado pelo ex-presidente da República, o cientista social Fernando Henrique Cardoso [FHC]. Parece-me um ótimo exercício para se conhecer um pouco os bastidores da presidência. O leitor interessado na história recente da política brasileira pode recorrer as páginas confeccionadas pelo jornalista Mario Sérgio Conti: Notícias do Planalto.

 

Literatura

Aos estudantes terceiranistas que pretendem participar dos vestibulares no final do ano, bem como do ENEM [Exame Nacional do Ensino Médio], a minha recomendação é a intensificação nos estudos, lendo várias enunciações consideradas clássicas da literatura brasileira, como as obras machadianas, como por exemplo, Dom Casmurro – quem já leu vale uma revisitada [eu farei isso nessa paradinha de prevenção] – Quincas Borba, Memórias póstumas de Brás Cubas, entre outros. Ressalto que essas obras podem ser acessadas gratuitamente no site Domínio Público. É interessante um passeio pela página da Academia Brasileira de Letras [ABL], na qual o interessado encontrará farto material disponível, como os volumes alusivos às correspondências de Machado de Assis e o livro de José de Alencar compostos pelas famosas Cartas de Erasmo ao Imperador.

 

Espelho

Mas aqueles que não querem nada disso, recomendo assistir novamente o filme Anjos e Demônios e prestar atenção no Camerlengo e no desejo deste ser o “salvador da Pátria” e para tanto, faz pacto com as forças sombrias objetivando assassinar o Papa e em seguida surgir como o herói. Tem uma parte interessante quando o novo secretário do Papa diz ao pesquisador que este pegasse leve com a Igreja, pois ela é perfeita, todavia, é composta por homens e estes sim, são os imperfeitos. Desta forma, creio que a reflexão é válida, mas ainda assim, existem aquelas pessoas que não querem se ocupar de profundas observações, optando por algo mais leve sem, no entanto, deixar de fazê-los pensativos. Nesta linha pode ser o livro ou filme O código Da Vinci. Há outros livros de leituras saborosas, como o romance Através do espelho, do filósofo norueguês Jostein Gaarder.

 

Partilha

Ainda assim, se meu leitor não se encaixou em nenhuma dessas indicações, pode optar pelo diálogo em família e olha que essas conversas lá no pretérito, quando a televisão ainda não tinha invadido as salas da maioria das residências brasileiras, eram assaz interessantes e as partilhas significativas, com os mais velhos contando suas peripécias por essa existência e as crianças imaginando como eram esses périplos, como os empreendidos por Gulliver e Ulisses, na Odisseia [Homero]. No caso em tela a oralidade era fundamental e a capacidade de o contador de história prender seus ouvintes eram importantíssimas. Eu me recordo de várias enunciações contadas e encantadas pelos meus avôs paternos quando passava finais de semana com eles ou nas férias escolares. Talvez esse seja um momento alvissareiro para se recuperar esses momentos.

 

Consciência

Enfim, a única coisa que não se pode fazer nesses dias é achar que a prevenção não precisa ser observada. Ela deve, em prol da população, ser respeitada, pois quando chegar o pico da contaminação, faz-se necessário que o quadro não seja crítico, mas para isso a lição de casa deve ser feita a partir de agora! Exemplos de negatividade temos na Itália que chora diariamente os seus mortos. Fico por aqui, desejando a todos os meus leitores paciência, resignação, pois a situação estando sobre controle, tudo passará. E-mail: gildassociais@bol.com.br; gilcriticapontual@gmail.com. www.criticapontual.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *