Olhar Crítico

Calouros

Na semana passada enfatizei aqui a conquista de meu filho, Miguel Francisco Minotti dos Santos, ingressou no curso de Física na USP (Universidade de São Paulo) – campus de São Carlos. Hoje, evidenciarei outros da turma dele lá no Colégio Futuro que conseguiram lugares de destaques nas universidades públicas brasileiras: quatro ingressaram na UNESP [Universidade Estadual Paulista] – instituição de ensino superior onde tive o prazer de estudar no começo da década de 90. Outra discente ingressou na Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul; uma outra na UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados). Outro aluno Colégio Futuro passou no exame de seleção da UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná). Há dois alunos que foram aprovados em mais de uma universidade pública, bem como uma discente que vai para a Universidade Federal de São João Del Rei. Parabéns a todos esses e aqueles que estudarão em universidades e faculdades particulares.

 

Educação

Amanhã os alunos da rede pública de ensino do Estado de São Paulo voltam do período de férias, entretanto, os docentes e equipe gestora trabalham desde o final do ano passado para o retorno das atividades pedagógicas nesta segunda-feira. No transcorrer da semana, dirigentes, coordenadores, professores e equipe técnica participaram ativamente do planejamento, debatendo vários assuntos, envolvendo ocorrências e problemas apresentados por alguns estudantes do corpo discente das instituições de Penápolis, bem como as inovações propostas pelo governo paulista.

 

Segurança

Entre os vários assuntos discutidos, um ganhou evidencia por conta de suas dimensões, principalmente porque não diz respeito ao universo escolar – se analisarmos apressadamente -, contudo, as consequências aparecem no interior das unidades educacionais: a violência. Há inúmeros relatos, inclusive com registros de casos de abandono de pais que não estão nem aí para a vida dos filhos e, quando são chamados nas instituições de ensino, não comparecem, configurando crime, conforme consta no ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente). Pois bem: se caracteriza como delito grave o desleixo com a vida escolar do filho, que os pais sejam punidos, sofram sanções, mesmo que estas sejam a de pagarem cestas básicas.

 

Pautas

Diante de tais constatações – que não são novidades para aqueles que atuam no campo educacional – creio que seja interessante o Conseg (Conselho Comunitário de Segurança) de Penápolis que tem como presidente o conselheiro tutelar João dos Santos, “Jaó”, propor uma pauta conjunta com o Conselho Comunitário de Educação para discutir conjuntamente com as autoridades policiais e judicias questões alusivas à essa temática. Também participariam dos debates, as autoridades pedagógicas da Diretoria de Ensino e das áreas sociais do município. Parece-me que essa discussão deveria ser feita agora no começo de fevereiro, aproveitando o início do ano letivo para que algumas diretrizes sejam tiradas, objetivando a redução da evasão escolar e da violência doméstica contra crianças e adolescentes.

 

Debates

Recordo-me que há quase 10 anos, por solicitação dum vereador cuja base eleitoral dele ficava no bairro Eldorado, foi realizada na Câmara Municipal uma reunião para debater educação e segurança. Lá estive e foi uma tarde muito proveitosa para todos, inclusive conversei com um dos promotores públicos da Vara da Infância de nossa comarca, fazendo-lhe algumas admoestações de quem estava diariamente dentro das salas de aulas enfrentando diversos problemas para tentar trabalhar. Todos sabem que muitos pais estão terceirizando a educação de seus filhos, mas há outros que deveriam ser responsáveis pelos seus rebentos, mas que simplesmente os abandonam à sorte da vida ou aos cuidados dos avós que, já cansados da labuta, são obrigados a educador os netos sem, no entanto, alcançarem os objetivos.

 

Vilipêndios

Entendo que a medida seja salutar, pois desde o último pleito presidencial que a classe docente deste país vem sendo vilipendiada por sujeitos sociais e políticos que nunca estiveram dentro duma sala de aula e não sabem um pequeno quantum das agruras que um professor passa para ministrar seus conteúdos. Não vou entrar nesse quesito, por achá-lo pífio, mas seria alvissareiro que esses vociferadores demagógicos entendessem bem que o trabalho educacional não tem nada a ver com vertentes ideológicas, como tentam fazer crer constantemente. Cada um dos professores, assim como qualquer profissional, opta por uma determinada metodologia de ensino objetivando sua ação no exercício pedagógico. Mas tudo isso segue os preceitos constitucionais e o programa definido pelas autoridades pedagógicas. O resto é demagogia barata e falácias.

 

Política

Quando se tem informação, segundo a qual os partidos políticos da cidade evitam que a população saiba que estão tramando nos bastidores, pode-se observar que o interesse do povo nunca será levado a cabo. Primeiro vem os desejos dos feudos partidários e seus coronéis e capatazes – aqueles que vão discutir isso e aquilo no boteco da esquina tentando demonstrar que sua mercadoria política tem mais valor que a do concorrente. Fico ensimesmado quando se evidencia que o eleitor, o verdadeiro dono do poder, não sabe o que está sendo articulado e conversado nos bastidores das legendas. Contudo, muitos dirão que àqueles que pretenderem saber mais sobre as admoestações partidárias deveriam ser filiados a uma legenda qualquer. Entretanto, como se fazer isso num país de pífia cidadania?

 

Eleições

A interpelação acima é significativa, tendo em vista que em outubro teremos eleições municipais para a escolha dos novos – ou a manutenção dos mesmos que aí estão – vereadores, prefeito e vice-prefeito. Em Penápolis, conforme já sendo aventado há tempos, a peleja promete ficar entre dois políticos conhecidos do cenário local, tendo outros partidos e seus apaniguados gravitando em torno das estrelas principais dum show que, ao que tudo indica, será acirrado até que as urnas se fechem logo no comecinho de outubro. Mas a pergunta que fica é: e quem não quer nenhuma das duas mercadorias colocadas à disposição no mercado eleitoral? Quem eles vão escolher para administrar Penápolis? Parece-me que essa resposta somente o tempo e os acordos é quem vai dar a esse eleitorado indeciso. Então, é esperar o tempo e o que as nuvens da política trarão nas próximas semanas. E-mail: gildassociais@bol.com.br, gilcriticapontual@gmail.com. www.criticapontual.com.br.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *