Olhar Crítico

Choro

Ainda rende muito chororô e responsabilizações de agentes externos no que diz respeito à não vinda do Ambulatório Médico de Especialidades para Penápolis. Num momento se alega questões financeiras e no outro justifica-se a não instalação do AME por opções técnicas. O prefeito vocifera aqui e chora ali, responsabilizando “deus e todo mundo”, como se diz no jargão popular. Mas, e ele, chefe do Executivo, qual foi a parcela de culpa para esse jogo de empurra-estica que virou a implantação do ambulatório na cidade. Parece-me que o momento é o de se dirigir ao seu eleitorado, isto é, mais de 17 mil eleitores e dizer o que há de real nesse rechaço ao seu governo: explicar ao povo que o elegeu, e aos que lhe fizeram oposição, que deu um tiro no escuro quando, envaidecido pela abertura do curso de Medicina, vociferou o seu apoio ao adversário do atual governador do Estado.

 

Serenidade

Não adianta o eleitorado ficar enervado com o gestor paulista, pois este pode definir o que é melhor para a sua plataforma governamental, cujo escopo é um só: se cacifar para disputar a presidência da República em 2022. Outro aspecto importante são os dados que João Doria (PSDB) deve ter em mãos: a informação segundo a qual não venceu o pleito eleitoral aqui em Penápolis. Se isso é fato, então a questão está aparentemente esclarecida. Entre uma cidade em que o prefeito trabalhou arduamente para o seu adversário e aquela em que a gestão municipal se desdobrou em apoio ao vitorioso, em qual delas o governante iria instalar uma unidade médica, objetivando novos dividendos político-partidários? Não precisa pestanejar muito para obter a resposta. “Então o governador do Estado não é humano, não observa o quanto seria benéfico para a cidade a vinda do AME”. O político é pragmático e o de Penápolis errou o alvo e desinstalou o Ambulatório Médico de Especialidades em Penápolis. O resto é chororô de quem perdeu o grande trunfo eleitoral para 2020.

 

Trebelhar

E já que a temática é política, será que a cidade se dividirá em dois flancos político e, nada edificando, ideológico? A pergunta escuda-se no fato de que o quadro sucessório para 2020 parece que ter dois lados: Caíque Rossio e Caros Alberto Feltrin, tendo o PT tentando abraçar uma das duas até aqui pré-candidatura, inclusive com o PSDB sendo o elemento fundamental nessa peleja. Uma coisa é certa: os tucanos de Penápolis não querem nem ouvir as duas siglas P e T que juntas formam o PT. Parece-me então que esse pode ser o divisor de águas para que o atual vice-prefeito se torne o mais novo tucano na terra em que o prefeito acredita ser o cara que definirá a peleja eleitoral, todavia, ao que tudo indica, não será bem assim que a coisa funciona, pois da mesma forma como o PT tem suas rejeições, o atual gestor também. Segundo uma fonte, fora de Penápolis, nas instâncias governamentais paulista, quando o nome do atual gestor é pronunciado, o tempo fecha e tudo o que foi remado para se chegar até aquele ponto, vai de água abaixo.

 

Tabuleiro sucessório

E as outras legendas penapolenses, como se posicionarão no tabuleiro sucessório do próximo ano? O DEM, pelo andar da carruagem e pelas ligações que o partido tem com o atual gestor, deve seguir a indicativa deste, mesmo que seja uma barca furada, como se diz no jargão popular. Uso a expressão por conta de informações, segundo as quais, o nome do prefeito não pode ser pronunciado em alguns pontos de política com a sinergia com o setor privado da vida paulista. No seu ex-PSDB, tudo indica que não haverá possibilidade do mesmo dar palpites, como vem tentando fazer. Desta forma, o seu ex-partido pode ser aquele que abrigará a candidatura de Carlos Alberto Feltrin. Mas será que este terá condições de atrair para si figuras significativas do cenário político local, além do esfacelado e fragmentado PT? Só o tempo dirá, mas até lá, outras agremiações, como o PC do B, estão no aguardo do posicionamento petista e, a partir daí, definir o seu destino. Fechará questão com o Partido dos Trabalhadores ou penderá as asas para os lados do ex-presidente da Câmara Caíque Rossi (PSD)? Seria interessante ver o PC do B no mesmo palanque que o DEM.

 

Voos partidários

Mas não é somente o PC do B que deverá se posicionar – é preciso observar que a legenda teve aqui em Penápolis um candidato a deputado estadual. Também quem deve sair das cavernas é o PSTU, o PSOL – ambos, filhotes do petismo, abandonaram a casa do pai por divergências com o homem forte da legenda, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva – condenado a mais de 25 de prisão por corrupção e outros crimes. Parece-me que o PSB – que estava sob a batuta do empresário Carlos Pizzani – Carlinhos Baiano – deve mesmo fechar questão em torno do ex-vereador e ex-presidente da Câmara, Caíque Rossi. Mas resta ainda o PDT, o MDB, o PV, entre outras legendas como o antes cobiçado PSL – tal desejo existia por conta de ser este o partido do presidente da República que debandou da agremiação, após ter se servido da mesma para chegar ao principal assento na capital candango.

 

Culpados

Um dia desses aí em que, para se esconder da chuva, as pessoas acabam se abrigando debaixo de toldos e outras coberturas, pude escutar a seguinte expressão: “esses nossos políticos estão sempre de olho na grana do contribuinte”. O interlocutor deste, fez a seguinte pergunta: “a culpa é de quem, de nossos políticos serem rábulas e larápios?” Dei apenas audição aos comentários, me abstendo de expressar alguma coisa, pois a conversa não era comigo, mas acho que aqui eu posso deixar a minha opinião sobre o eleitorado brasileiro que hora em troca de penduricalhos, promessas vis ou enriquecimento rápido e ainda crê que o político manterá a palavra dada em palanque. Como mudar esse quadro dantesco? Não existe decreto, fundo partidário ou Emenda Constitucional que modifique a latrina em que se transformou o universo político nacional, mas apenas educação política e nada ortodoxa ou religiosa, daí o meu rechaço à essa teocracia que vem crescendo no Brasil com ares democráticos. E-mail: gildassociais@bol.com.br. gilcriticapontual@gmail.com. www.criticapontual.com.br.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *