Olhar Crítico

Civismo

Hoje a Loja Maçônica Estrela da Noroeste de Penápolis encerra hoje a 45.ª edição da sua tradicional Maratona Cívico Cultural Semana da Pátria. Desde o primeiro evento, o seu escopo tem sido o de proporcionar e incentivar os estudantes aos estudos e também ao civismo, isto é, ao amor à Pátria Brasileira e esse processo tem início quando o cidadão conhece os aspectos geográficos do país e também o seu legado histórico. A competição tem, a cada ano obtendo mais sucesso junto às escolas da comarca e também da região, incluindo unidades educacionais pertencentes a outras diretorias de ensino. Parabenizo os organizadores que há 45 anos conduzem, com maestria, a Maratona, cujas provas foram realizadas na manhã de ontem em Penápolis.

 

Solidariedade

Recentemente publiquei aqui neste espaço pequenos trechos duma observação, segundo a qual, Penápolis é uma cidade em que a solidariedade realmente acontece. Isso é significativo, bem como o trabalho que vem sendo realizados há décadas no quesito ambiental. Esse legado ficará com as gerações futuras que deverão reproduzir aquilo que aprenderam em casa com os pais e todo o círculo de amizades construídos desde os tempos da escola e universidade. Seguindo essa linha, o Hospital Espírita João Marchesi promove no dia 14 deste mês o Nhoque Solidário. Cada convite adquirido dá direito a 1 kg da iguaria italiana que será feita de batata doce com molho à bolonhesa. A retirada será feita na avenida Luís Osório, 111 – na região central da cidade – entre às 11h e às 13hs.

 

AME

A novela AME (Ambulatório Médico de Especialidades) continua. Desta vez o prefeito disse, após participar de solenidade com o governador em exercício que esteve em Penápolis no meio da semana que se foi, que a instalação do ambulatório na cidade não estaria descartada. Sem nenhuma novidade no front, até porque o próprio Dória e sua cúpula de assessores já havia afiançado que a liberação da unidade para o município iria entrar na proposta orçamentária para 2020. Parece-me que a problemática reside em alguns empecilhos, como o fato de que no próximo ano haverá eleições nos 5.570 municípios brasileiros e é lógico que os olhos do governador estarão voltados para essa Paróquia chamada outrora de Princesa da Noroeste. Explico: o adversário de Dória ganhou na Terra de Maria Chica e o prefeito foi o seu apoiador desde a primeira hora. Então, creio que a liberação do AME estará sujeita a essa nomenclatura eleitoral.

 

Comando

Aproveito meus aforismas dominicais para parabenizar o capitão PM Fernando da Cunha Bachiega por ter se tornado o comandante da 2.ª Companhia da Política Militar de Penápolis. O novo comandante afiançou que continuará os projetos que já vem sendo realizados pela corporação em Penápolis e cidades da região, como a Atividade Delega, com o Conseg (Conselho Comunitário de Segurança) do qual a PM é membro efetivo e com a Polícia Civil.

 

Municipalização

E como a temática é segurança, já se caminha o terceiro quartil do ano e ainda não observei nada a respeito da municipalização do trânsito em Penápolis e a criação da Guarda Municipal, conforme determina o CTB (Código de Trânsito Brasileiro). Pelo visto, este prefeito deixará o posto, depois de ficar oito anos no principal assento do cargo, e a coisa permanecerá anestesiada. Resta saber se essa instalação voltará a ser promessa de campanha e depois engavetada como outras tantas que já observei desde que comecei a publicar meus aforismas críticos neste jornal e olha que já vai tempo desde as primeiras linhas.

 

Binária

Espero que o pleito do próximo ano aqui em Terra de Maria Chica não se transforme numa eleição binária em que apenas dois adversários disputam o certame político-partidário, ou seja, entre o ungido do prefeito que quererá cacifar seu pupilo na chefia do Executivo municipal e, de outro, as forças que se aliariam ao lado do ex-pupilo do atual governante paroquial Caique Rossi (PSD). Ao que está se indicando, tudo caminha para essa seara, o que seria muito chato para o debate político, pois evidenciaria que o escopo é só o de chegar ao poder e dizer ao adversário e seus asseclas que eles terão que esperar mais quatro anos, caso queiram dar as cartas na política local.

 

Ferrovia

É! Parece-me que tem muita coisa em cima da mesa do governador paulista para ser assinada, dando encaminhamento a algumas reivindicações de Penápolis, entre elas, o convênio para reformar a antiga estação ferroviária encravada bem no coração da Princesa da Noroeste. Entrou governo, saiu gestor e aquele prédio continua intacto, recordando o começo da cidade, merecendo um carinho cultural de nossas autoridades, contudo, uma hora seria para se transformar num museu ferroviário, outro para se tornar um terminal de integração dos coletivos penapolenses, entretanto, choveu, fez sol, o frio deu as caras, a primavera encantou ruas e casas e a coisa não saiu do papel e da verborragia palanqueira.

 

Leitura

Recomendo aos meus leitores que leiam, quando o tempo lhes aprouver, a obra O valor das ideias: debates em tempos turbulentos. O livro, conforme conta em sua apresentação, “reúne quatro polêmicas em que se envolveram nos últimos anos” alguns intelectuais brasileiros em torno de questões alusivas ao universo da “política econômica e a história recente de nosso país”. Os autores são os economistas Marcos Lisboa e Samuel Pessôa. Seria interessante também percorrer as páginas da obra Caminhos da esquerda: elementos para uma reconstrução, do professor da USP, Ruy Fausto. E completando a trinca e tentando entender um pouco esse país que flerta diariamente com o autoritarismo disfarçado de extrema-direita e nacionalismo, indico de Lilia Moritz Schwarcz, Sobre o autoritarismo brasileiro.

 

Sonoridade

No campo da música e outras sonoridades, me parece que a música Morro Velho, na voz do compositor Milton Nascimento é uma excelente oportunidade para ouvir e refletir sobre esse Brasil que a escravidão nos legou. É interessante também escutar e prestar muita atenção na letra da canção Vida de negro, na interpretação do cantor baiano Dorival Caymmi. Como podes observar, meus caros leitores, existem diversas ferramentas que o cidadão pode usar para compreender adequadamente a Nação em que vive e ajuda a construir diariamente. E-mail: gildassociais@bol.com.br, gilcriticapontual@gmail.com. www.criticapontual.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *