Olhar Crítico

Pais

Começo meus olhares dominicais conversando um pouco com aqueles leitores que são pais, avós e filhos. Sabe-se que neste segundo domingo de agosto a dedicação é exclusiva àqueles que criam com esmero e dificuldades os seus filhos. O momento também é o de, não apenas falar a emoção, mas sobretudo o de refletir sobre o ser pai, o ser filho e a condição de neto. Muitos gostam de presentear, aparecer, abraçar os pais, todavia, dos últimos oito meses, esteve apenas uns poucos domingos com aqueles que lhes deram tudo, sobretudo, a própria existência. Desta forma, quem estiver rusgado com seus pais, reconciliem-se, sempre levando em conta que muitas vezes, o sujeito é revolucionário na juventude, conservador na fase adulta do seu existir e dado a reações intempestivas na chamada Terceira Idade, mas de qualquer forma, não deixa de ser pai. Dedico esses aforismas àquele que por uma fatalidade não pude conhece-lo direito: Francisco Barbosa dos Santos (1939-1970).

 

Cinema

É também neste domingo, dedicado aos pais, o dia de Cinema na Praça. Será montado, na Praça Carlos Sampaio, um grande telão para a exibição do filme Mulher Maravilha. A projeção da película terá início às 20h. A exibição – que pode muito bem fazer os saudosistas relembrarem do “Palácio Encantado da Cidade”, ou simplesmente Cine São Joaquim – compõe o projeto Circuito Sescoop/SP de Cultura, contando com o apoio da Prefeitura local. Então o momento é alvissareiro para que as famílias ocupem a praça na noite deste domingo e encerre as comemorações àqueles que batalharam e continuam na labuta para que os filhos possam ter um futuro diferente do presente de seus pais.

 

Educação

Ainda dá tempo desses mesmos pais que comemoram o seu dia neste domingo, reverem algumas questões fundamentais de suas existências e de seus familiares. Uma das observâncias diz respeito ao universo educacional. É preciso que todos compreendam que a educação dos filhos não é custo, e sim investimento para o amanhã dos rebentos. O primeiro passo em direção a essa prática, deve vir da visão de mundo, segundo qual os entes sociais devem eleger como prioridade o que é mais importante para aqueles que vieram ao mundo através desses sujeitos adultos. Sendo assim, creio que a leitura do livro O critério, do filósofo Jaime Luciano Antônio Balmes (1810-1848) pode ser muito útil nesse momento em que se está em plena revolução 4.0.

 

Universidade

Dentro dessa visão do mundo pedagógico e educacional, a direção do Colégio Futuro organiza para as próximas semanas duas excursões para os seus estudantes do último ano do ensino médio. Uma delas é para a USP (Universidade de São Paulo), criada no começo da década de 30 do século passado por determinação do governador Armando Sales de Oliveira. Em seus anos iniciais, a universidade contou com a presença de notáveis profissionais da educação de várias partes do mundo, como o antropólogo francês Claude Lévi-Strauss (1908-2009) que foi professor do sociólogo Florestan Fernandes (1920-1995), um dos grandes pensadores das questões sociais brasileiras que nos deixou significativos livros como O negro no mundo dos brancos e Revolução Burguesa no Brasil. A segunda excursão será para uma universidade privada em Presidente Prudente, a Unoeste.

 

Política

Não objetivo aqui apontar o dedo para quem está certo ou errado na mais nova peleja que o atual prefeito se envolveu por conta dum projeto que a Fundação Educacional de Penápolis pretende levar a cabo: a construção dum centro oncológico em Penápolis que, com certeza estará acoplado à Faculdade de Medicina. Pelo zum-zum-zum que esvoaça nos quatro cantos da cidade, o chefe do Executivo teria ficado magoado por ter sido alijado do processo que apresentou a proposta junto a integrantes do alto escalão do governo paulista. Como perguntar ainda não ofende: por que o chefe da paróquia política teria sido excluído desse momento importante da educação superior em Penápolis? Posso até indicar os pedregulhos que seriam atirados na vidraça do prefeito que, no começo de sua primeira gestão à frente da Prefeitura, vociferava ser um gestor.

 

Maquiavel

Mas, não direi nada sobre as pedras que jazem sozinhas no cantinho sem que ninguém se abaixe para pegá-las e içá-las em direção ao desejo do prefeito de estar à frente de tudo. Contudo, creio que o chefe da municipalidade deve observar que está com os meses contados para deixar a prefeitura e sem muitas condições de fazer o seu sucessor, tendo em vista as relações estremecidas com o governador paulista e, tudo isso, por ter sido afoito num evento da própria instituição que, ao que tudo indica, começa a andar sozinha, o que é louvável, pois o vitorioso será o povo de Penápolis. Quem foi forte ontem, poderá não ser a fortaleza hoje e o muro de sustentação amanhã. Uma análise rápida na obra O príncipe, de Maquiavel pode indicar muitas coisas, como por exemplo, aquele que quererá ser o governante amanhã deve se unir ao lado mais forte no presente e, com certeza, o fracasso do AME e a novela da rotatória indicam qual o a tomada o cidadão deve usar para buscar energia para que seus equipamentos funcionem.

 

Melancolia

Certa vez disse aqui que o atual gestor, diante da quantidade de processos que tem contra si na Justiça local e também no Tribunal de Justiça estadual, terminará melancolicamente suas duas gestões – essa melancolia me faz lembrar dum pensador alemão Walter Benjamin (1892-1940). O chororô dele por conta do evento em torno dos passos que a instituição de ensino superior de Penápolis almeja galgar, evidencia muito bem isso. O mandatário penapolense (sem legenda) terá mais 18 meses de governança no município e o governador do Estado está dando as suas primeiras canetadas para se cacifar como o homem do PSDB nas eleições presidenciais de 2022. O chefe do Executivo que objetivava fazer o seu sucessor foi ser oposição ao atual mandatário em um momento nefrálgico da política paulista, culminando com o seu alijamento da legenda. Sendo assim, ao que me parece, ninguém quererá tê-lo ao lado quando for solicitar algo ao atual governante paulista. Pelo menos é o que está na seara política local. Quereria eu estar equivocado, contudo, deixarei o tempo e as nuvens seguirem seus percursos no cenário político-ideológico penapolense. Fico por aqui parabenizando a direção e toda a equipe de jornalistas que produz diariamente este jornal pela nova dinâmica do órgão em seu site na internet. E-mail: gildassociais@bol.com.br; gilcriticapontual@gmail.com. www.criticapontual.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *