Olhar Crítico

Política

Não sou muito de enveredar por opiniões emitidas pelos outros colunistas que publicam aqui neste espaço, entretanto, creio que hoje é possível abrir uma exceção, justamente porque a temática assim o requer, pois se trata da interferência no diretório municipal do PSDB. Quem participa, ou participou, das conversas sobre a política da cidade sabe que o problema no ninho tucano de Penápolis não é novo e vem, a pelo menos, desde o ingresso do atual prefeito na agremiação. É preciso ter claro que não é a primeira vez que acontece isso com os partidos dos quais ele se aproxima, portanto, não deve ser novidade alguma para aqueles que militam no mundo da política partidária penapolense.

 

Histórico

Ele saiu do DEM/PFL para se enfileirar no PSD recriado por Gilberto Kassab e, em seguida, arrastou alguns integrantes do PV, provocando uma desavença com o seu vice no primeiro mandato. Depois disso tudo, deixou os “amigos” e forçou o ingresso no PSDB provocando um enorme racha no interior do diretório local. Fissuras que nunca foram cicatrizadas, mas que eram levadas em banho-maria, até que ele resolveu, num ato de pura pessoalidade como é próprio dos políticos com inclinações populistas, resolveu, num evento festivo, colocar-se ao lado de uma das pelejas eleitorais em disputa o ano passado. As consequências desse posicionamento todos sabem: expulsão do partido, alteração no quadro de instalação do AME e uma outra obra, tão cantada em prosa e verso como o prefeito desenvolvimentista, em suspeição.

 

Passos

De acordo com algumas fontes consultadas por este colunista, o próximo passo do chefe do Executivo é abocanhar outra legenda, principalmente porque foi enxotado do PSDB. A meta agora é se filiar como um grande quadro no PSL que dá sustentação legal ao atual presidente do Brasil – que vem sendo questionado desde que assumiu o posto por posicionamentos complexos de si e de seus ministros, entre eles, a questão envolvendo o Hino Nacional e a sua execução no interior das escolas brasileiras [já existe legislação sobre isso, portanto, o que se buscou fazer foi chover no molhado]. Mas deixando a capital candango para outro momento e focando o escopo na política penapolense, é preciso observar que ano que vem tem eleições municipais e o governador quererá alguém no PSDB local afinada com a sua gestão.

 

Jogo político

Em se confirmando o braço de João Dória nessa intervenção branca do PSDB local, como é que fica a tal proposta orçamentária estadual que prevê a implantação do AME em Penápolis em 2020? Muitos que me leem semanalmente devem entender que não estou torcendo para o touro, como se diz no jargão popular, mas tão somente separar o que é fato do que é jogo político e verborragia tosca de quem quer se manter à frente dum poder que começa a se esvair e a intervenção na legenda tucana em Penápolis demonstram que os tempos são outros e que aquela velha prática de ter políticos antenados com o Palácio dos Bandeirantes continuará. Conforme apontei aqui um dia desses, a implantação do Ambulatório passa pela eleição para prefeito em 2020 e a cidade deverá escolher um candidato concatenado com a visão de mundo de João Dória, do contrário, a cidade continuará onde está, ou seja, na mesma.

 

Demissão

Já que não teve jeito, a administração municipal teve que voltar aos braços do Cisa, e a saída é a reorganização do consórcio, principalmente no campo das finanças do órgão. E a primeira medida, conforme matéria publicada aqui no INTERIOR diz respeito ao PDV (Plano de Desligamento Voluntário), através dele o servidor pode se desligar do órgão. Por essa ação, o funcionário receberá “como incentivo financeiro, uma indenização correspondente a 50% de seu vencimento para cada ano completo de efetivo exercício de suas funções no Cisa”, diz o material divulgado por este jornal.

Sentença

Deixando a seara da intervenção no PSDB local, contudo me mantendo no cenário da política, um blogueiro penapolense publicou mais uma condenação do atual mandatário. Desta vez, a sentença veio do TCE (Tribunal de Contas do Estado), envolvendo o arauto da paróquia política local e uma empresa privada.  O egrégio tribunal determina que o chefe do Executivo e a contratada devolvam aos cofres públicos mais de R$ 298 mil. Se eu não estiver equivocado, caso esteja que me corrijam aqueles que entendem melhor essa coisa de legislação, cabe recurso, entretanto, é mais um probleminha para o gestor municipal resolver até o fim do seu mandato em 31 de dezembro de 2020. Até lá seu calvário com a Justiça e a legislação vigente prossegue. É importante ressaltar que haverá eleições em 2022 para deputado estadual e federal e provavelmente o atual mandatário, naquela ocasião, já na condição de ex-prefeito quererá disputar um assento na Assembleia Legislativa Paulista.

 

Sem entender

Confesso-te meu caro leitor que ainda não entendi a ação de nossos vereadores irem em caravana à São Paulo buscar recursos para o Cisa. Por que não foi feito isso antes, sabendo-se que o consórcio passa por dificuldades, inclusive com créditos a receber do município? Será que estavam todos esperando a inauguração do AME para pegar uma carona na foto e também dizer que ajudou a ceifar a vida do leão? Como perguntar ainda não ofende: será que acreditavam que, depois do prefeito declarar o seu voto ao desafeto do atual governador, este, vitorioso no pleito do ano passado, iria liberar o Ambulatório Médico de Especialidades para Penápolis? Não faz muito tempo, o mandatário penapolense chegou a ventilar a possibilidade de uma manifestação em frente à Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo se o governador não atendesse o pleito local. E a manifestação vai acontecer ou não?

 

Reformas

Outro dia uma estudante me interpelou com uma interrogação para lá de inquietante. Ele me perguntou qual seria o caminho que eu indicava para solucionar ou minorar os problemas sociais que temos por conta das mazelas, principalmente as perpetradas pelos nossos políticos. Disse-lhe de forma sintética que as mudanças e as transformações que todos buscam, começam pela reforma íntima e essa é a das maiores problemáticas enfrentadas pelo homem moderno ou pós-moderno. Então comecemos a jornada que promete ser longa, mas pode ser iniciada já nesses dias de carnaval. E-mail: gildassociais@bol.com.br; gilcriticapontual@gmail.com. www.criticapontual.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *