Olhar Crítico

Ame …

Bem que gostaria de começar meus aforismas dominicais de outra forma, todavia, os fatos atropelam as reflexões moldando-as para os meus leitores sem haver uma intervenção de minha parte – muitos ou não, isso não importante, pois eles querem saber – sem haver uma intervenção de minha parte. Desta forma, neste primeiro dia da segunda semana do segundo mês de 2019, a notícia é complicada, pois conforme informou um blogueiro da cidade, na tarde da última sexta-feira, o governo do Estado vetou a concretização do tão propalado cartão de visitas do atual mandatário. Ele cantou em prosa e verso que o AME (Ambulatório Médico de Especialidades) voltado para o campo cirúrgico era de Penápolis. A grita, seguida duma enorme propaganda, foi geral e tudo dado como certo, mas o certo ficou pelo caminho da governança e das eleições…

 

…ou o deixe.

… já que não foi esse o entendimento do governo paulista, eleito em outubro passado sem o apoio do chefe do Executivo local que, em virtude de sua rebeldia em apoiar o adversário, foi alijado das fileiras do tucanato. Na minha singela avaliação, um governante, de acordo com os preceitos traçados por Nicolau Maquiavel (1469-1527) em seu clássico O príncipe, jamais pode levar a cidade que administra a apoiar o lado mais fraco da peleja eleitoral. Na dúvida, se mantem neutro como prudência. Mas, ao que tudo indica, esse princípio traçado pelo pensador florentino não foi levado a sério, vencendo a verborragia palanqueira. Não se é prefeito dum determinado partido ou postulante a governante do Estado, administra-se a cidade para o seu povo e não para si. Ao que tudo indica, aquela falação. Segundo a qual, desde pequeno se acalentava o desejo de prefeitar a paróquia, foi ruindo aos poucos, desde o convite para deixar a legenda que o acolheu, quiçá contrariando vários dos partidários do PSDB.

 

Prudência…

O que a prudência indica a quem quer administrar uma paroquia? O que o universo da política pode ensinar nesse episódio? Parece-me que uma brincadeira de criança pode auxiliar no caso aqui. Todos, em algum momento de suas existências terrenas, participaram da disputa de cabo-de-guerra e sabe que é preciso saber escolher de que lado estará para vencer a peleja. Até aí, tudo bem, mas quando sai do universo do lazer e adentra ao mundo concreto, não se pode imaginar, faz-se necessário ser prudente, principalmente a um governante que tem pendências e mais pendências com a Justiça, algumas delas complicadíssimas, outros por “merreca” – como ele mesmo disse a um jornal de circulação regional. Será que a cidade perdeu o AME por merreca ou foi culpa de forças ocultas, como disse certa vez o folclórico político Jânio Quadros (1917-1992) por conta de sua renúncia ter sido aceita pelo Congresso Nacional nos primeiros anos da década de 60 do século passado.

 

Sem ame…

De acordo com informações do Blog do Faria, o Estado informou, via Secretaria de Saúde, que fará novos estudos para analisar todas as demandas pelo AME advindas de várias regiões do Estado de São Paulo. “A medida busca otimizar serviços existentes e implantar novos serviços onde forem identificadas necessidades”. Essas observações, com outras palavras, conforme enunciadas aqui no INTERIOR durante a semana que terminou ontem, haviam sido feitas pelo vice-governador Rodrigo Garcia (DEM). Portanto, não me parece que a notícia tenha provocado estardalhaço em Penápolis, pois aqueles que analisam friamente o cenário local e suas politicalhas, tinham uma ideia de que a coisa já havia sido decidida quando da suspensão pelo governador João Doria (PSDB).

 

… Cisa neles.

Sem ame… será preciso encontrar um novo amor, ou melhor, voltar para o CISA (Consórcio Intermunicipal de Saúde) e aparar as arestas. Os moradores, independentemente se votaram ou não no atual chefe da paróquia local, com base em promessas eleitorais de que a cidade ganharia em seu segundo mandato o Ambulatório Médico de Especialidades, não poderão ficar a ver navios, como diz aquela expressão popular que alude ao retorno do rei infante D. Sebastião que retornaria da batalha de Alcácer Quibir. Se bem que já se vinha aventando a possibilidade duma reconciliação entre Penápolis e os demais municípios consorciados. Entretanto, me parece que o namoro havia sido posto na geladeira à espera do sim do governador. Como ele não veio, a saída é pegar as malas e voltar para os braços do Cisa.

 

Sentenças

E já que a temática é o Consórcio Intermunicipal de Saúde, outro blogueiro de Penápolis informou que o ex-prefeito João Luís dos Santos (PT) foi condenado em primeira instância – ou seja, na Justiça local – por improbidade administrativa, além de perder os direitos políticos por cinco anos. A sentença aplicada pelo juiz da 2.ª Vara, Mateus Moreira Siketo, foi em virtude da Ação Civil Pública (Processo nº 0011768-50.2012.8.26.0438) que investiga a contratação direta pelo Consórcio duma empresa na “prestação de serviços de ultrassonografia, cujas despesas superaram o limite para a dispensa de licitação” de acordo com a Lei 8.666/93, famosa “lei das licitações”, conforme consta no blog O penapolense. A condenação alcança também o ex-coordenador do Cisa, Edvaldo Alves Trindade. Por se tratar duma condenação em primeira instância, cabe recurso no âmbito do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. Todavia, importa ressaltar que, não raro, depois que deixam o cargo, os ex-prefeitos enfrentam problemas com a Justiça e, ao que tudo indica, esse será o caminho do atual mandatário assim que se tornar ex-prefeito.

 

Vitória

Não posso deixar de parabenizar aqui a minha sobrinha-afilhada Beatriz dos Santos Caldeira pela sua formatura. Ela acaba de colar grau e obteve o título de Bacharel em Nutrição. Em primeiro lugar, uma vitória pessoal dela; em segundo lugar, dos pais Eliane Francisca dos Santos Caldeira e Derci Caldeira e da irmã Bruna dos Santos Caldeira que não deixaram em nenhum momento de acreditar no sonho que ela vinha acalentando desde os anos iniciais do Ensino Médio. Também destaco aqui, a presença dos parentes, tios e tias que sempre a estimularam a dar o passo seguinte, fazendo eco à frase do dramaturgo inglês William Shakespeare (1564-1616): “Um homem que não se alimenta de seus sonhos envelhece cedo”. Portanto, Beatriz, destes o primeiro passo em direção a outras vitórias.  Fico por aqui, observando que o departamento de Turismo do Sincomercio está organizando uma excursão para Campos do Jordão. Em breve, novos aforismas sobre o assunto. E-mail: gildassociais@bol.com.br; gilcriticapontual@gmail.com. www.criticapontual.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *