Olhar Crítico

Caminho

Por onde começar meus aforismas críticos dominicais? Pela vida, pela sociedade ou pela política penapolense? Acho que devo iniciar a jornada de hoje atravessando o pantanoso terreno da política, ainda mais que, segundo consta, existe um partido que está em litígio interno, mas que pretende vir forte no pleito de 2020. De acordo com fontes ouvidas por este colunista, há uma expectativa duma junção de forças entre o PSD, do vereador Rodolfo Valadão Ambrósio, com o diretório local do PT. É bom se lembrar, meu caro leitor, que o Partido dos Trabalhadores não fez um vereador no último pleito. Até aí nada de mais, até porque no plano nacional, a legenda é alvo de muitas pedradas, umas com fundamentos, outras de puro rancor e ressentimentos, mas é dessa massa lodosa que é feita a esfera da política.

 

Chapas

Ao que tudo indica, conforme apurado, a ideia do PT, numa chapa para disputar a sucessão do atual prefeito (sem partido), é ficar com o posto de vice-prefeito e o escalado seria o ex-vereador Zeca Monteiro. Na cabeça de chapa, se ventila o nome do médico oftálmico João Batista. Reta saber se ele vai se filiar ao PSD ou se vai de PT mesmo? Creio que ele deva engrossar as fileiras da agremiação da vereadora Ester Sezalpino que desejou conquistar o cargo de presidente da Câmara, mas foi preterida pelos demais pares. É preciso que se diga que o PSD também enfrenta problemas internos e poderá perder filiados, inclusive vereadores, caso o chefe do Executivo consiga implodir mais um partido, desta vez o PSL.

 

Implosão

Parece-me que o termo implosão partidária pode ser entendido com certo peso, mas sempre afirmei isso aqui que o atual mandatário tem em seu currículo político essa narrativa demolidora. Lembro-me de uma desavença entre ele e um integrante do PFL que era vereador na época. Depois daquele entrevero e terminado aquela legislatura, o oponente do atual mandatário da cidade, deixou a vida política, mesmo tendo alguns projetos importantes que gostaria de vê-los sendo executados em Penápolis. Depois veio a deserção do DEM e em seguida a ida para o PSD, levando consigo alguns dos principais quadros do PV e o rompimento com o seu vice, antes mesmo de assumirem os respectivos cargos. Esse enredo é significativo para aqueles que estudam a recente história política de Penápolis.

 

Histórico

Recordo-me que também havia uma problemática no interior do Solidariedade que está purgando até hoje, conforme já noticiado aqui no INTERIOR por um de seus colunistas. A legenda também passará por reformulações com a saída da vida política local de um de seus principais líderes, o sindicalista Cristiano Alves Souza Cruz. Essa agremiação também viveu tempos difíceis entre seus correligionários, principalmente quando o vereador Rubinho Bertolini ocupou a presidência da Câmara e interinamente o cargo de prefeito, enquanto o chefe do Executivo resolvia suas pelejas com as leis eleitorais através dos embargos infringentes por conta dum problema ou, como ele mesmo gosta de chamar, merreca, quando presidia a Câmara de Vereadores.

 

Postulantes

É! 2020 teremos eleições municipais e tudo passará pelas mãos do governador do Estado, seus deputados e assessores direto e Penápolis precisa se posicionar bem nesse tabuleiro político-ideológico. Ao que tudo indica, o presidente da Câmara, Ivan Sammarco deixará o PPS e migrará para o DEM. A pergunta que fica é: qual o ganho que o município e seus eleitores terão com essa dança partidária? Será que Sammarco está pensando em disputar a sucessão do prefeito ou irá compor chama com outros partidos, como por exemplo, o PSD? E o ex-vereador Mauro Olympio, que hoje é secretário de Mobilidade Urbana e poderia ter um grande trunfo em seu benefício, caso municipalizasse o trânsito e criando a Guarda Municipal, abandonou a ideia de voltar a ocupar um assento no legislativo penapolense?

 

Novo

Nesse trebelhar, não é possível descartar o partido Novo que tem no governo de Minas Gerais, o seu primeiro chefe de Executivo estadual. A legenda deverá vir forte com a proposta de renovação no cenário político, mas não a partir da legislação partidária, mas sim do próprio estatuto da agremiação. Sendo assim, a reforma não virá do alto do trono contaminado pelo ranço da plutocracia e da ausência de cidadania na praça política, ou como os gregos a chamavam, ágora. O problema é a forma como a praça vem sendo ocupada, sem um quantum mínimo de cidadania. É uma grita só: o grupo que sai é o pior que já governou este país e o que entra, este sim, sabe das coisas e vai dar jeito nas pelejas dos pobres. Foi assim quando o PSDB deixou o poder, depois de oito anos no Palácio Central e está sendo agora que os bolsonaristas são governo e o PT foi literalmente escorraçado do poder.

 

Bang-bang

E é justamente sobre essa divergência que achei interessante o debate na semana que terminou ontem. O presidente da República assinou decreto autorizando cada brasileiro, dentro do que a legislação prevê, a ter até quatro armas de fogo em casa. Foi o suficiente para acender o estopim das discussões, todas pertinentes, principalmente porque uns defendiam o decreto e outros eram contrários à medida. Não vou entrar aqui no mérito da peleja, pois aqueles que leem o que escrevo, seja através dos meus olhares críticos ou nas crônicas semanais, sabem como eu vejo essa questão. O que posso afirmar que é a democracia é mais importante do que qualquer questiúncula e o indivíduo tem o direito de opinar, seja favorável ou contrário, só não vale o escarnio e ainda há quem prefira o escarnio a um bom debate de ideias, optando por palavras de ordem, evidenciando o desconhecimento sobre esse país.

 

Turismo

Para aqueles que ainda querem curtir um pouco mais esse final de janeiro. Ainda dá tempo de participar da excursão que o departamento de turismo do Sindicato do Comércio Varejista de Penápolis está organizando para Camboriú (SC) entre os dias 28 deste mês e 3 de fevereiro. Os interessados entrar em contato com Cristina na sede do Sincomércio e aproveitem para conhecerem a programa de excursões que estão sendo preparadas para este ano. E-mail: gildassociais@bol.com.br; gilcriticapontual@gmail.com. www.criticapontual.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *