Olhar Crítico

Pai

Começo meus aforismas dominicais dedicando umas pequenas e mal traçadas linhas para um ser, que por fatalidade, não pude conhecer, mas que exerce forte influência em minha vida pelo depoimento daqueles que conviveram com ele: Francisco Barbosa dos Santos, que dá nome a uma das ruas do Jardim do Lago. Faleceu em 1970 num acidente de trabalho enquanto funcionário público municipal que usava a sua função para sustentar a família. Então, hoje, o meu dia dos pais, já que também sou pai, dedico a ele e ao meu filho Miguel Francisco. Desta forma, digo aos que ainda os tem que os valorizem e, para aqueles que são pais, eduquem seus filhos, sobretudo para respeitá-los e não apenas o mundo social.

 

Respeito

Se a criança não respeitar pai e mãe, dificilmente conseguirá reproduzir essa vivência com outros seres humanos. Neste sentido, é que penso que a data é alvissareira, não do ponto de vista mercadológico, mas no âmbito da constituição emocional e sentimental do sujeito social, pois, como se diz no jargão popular, dia dos pais são é somente no segundo domingo de Agosto, mas sim diariamente, sobretudo daqueles que efetivamente o são, orientando, explicando como é o mundo de fato e, principalmente, sendo o verdadeiro e único amigo dos filhos.

 

Descaso

Deixando o universo do Dia dos Pais para a comemoração dos indivíduos neste domingo e adentrando ao mundo do descaso – e olha que são tantos que eu ficaria até a publicação da próxima coluna os apontando, todavia, enquanto o tempo vai passando -, chamarei atenção para as constantes queimadas que vem ocorrendo nas cercanias de Penápolis. No momento em que compunha esse aforisma, depois das 14h de uma sexta-feira, era possível vislumbrar no céu que cobria a região da Vila Santa Terezinha uma grande fumaça, parecendo um cogumelo gigante. Não é a primeira vez que isso acontece. É uma ação que se repete faz umas três ou quatro semanas consecutivas, o que me leva a acreditar que possa ser ação deliberada de alguns incautos, no entanto, ai já não é mais com este colunista que vos escreve meu caro leitor e sim com as autoridades constituídas.

 

Ciência

E como preservação ambiental é assunto presente no processo educacional, aproveito para parabenizar a direção do Colégio Futuro/COC pela realização da 5ª Feira de Ciência ocorrida entre quinta e a sexta-feira da semana que terminou ontem. As atividades aconteceram no campus da unidade escolar em dois momentos: na noite de quinta e manhã de sexta, de modo que os visitantes e pais puderam ver como seus filhos começaram a se enveredar pelo campo da ciência. Só para recordar a importância de eventos dessa envergadura, em duas ocasiões dois alunos do ensino fundamental que hoje cursam o primeiro ano do ensino médio, construíram um game que simulava uma explosão radioativa dentro dum laboratório, tendo como consequência uma tragédia humanitária, pois os vírus escapavam do local e contaminava toda a humanidade.

 

Games

E é também do universo do game que vem outra notícia alvissareira, mas desta vez para os alunos do colégio que disputaram o campeonato de game promovido pelo Garden Shopping. A equipe, formada por quatro estudantes do primeiro ano do ensino médio e um do último ano do ensino fundamental do Futuro, conquistou o campeonato de LOL. Pelo título, os participantes receberam uma medalha e prêmio em dinheiro. O uniforme do time, designado como Cachorros do Nordeste, foi patrocinado pelo professor de educação física do Colégio, Eduardo Alberton. Parabéns aos ganhadores que demonstram que o mundo dos games já deixou, a muito tempo, de ser apenas entretenimento e fonte de estudos, conforme o jogo apresentado numa das edições da Feira de Ciência daquela instituição privada de ensino de Penápolis.

 

Política

Qual é o papel do vereador? Encaixar o seu eleitor numa fila para consulta médica na rede pública de saúde? Ser uma espécie de chanceler do prefeito na Câmara Municipal? Podar árvores, requerer um poste de luz em determinada região? Pegar no pé do chefe do Executivo? Fazer viagens à capital estadual e à federal? Bajular deputados e senadores em busca de verbas, emendas aos orçamentos federal e estadual? São tantas as perguntas que a resposta de cada uma delas, levará o eleitor a outras tantas, todavia, é preciso se enveredar por este campo interpelativo, justamente para fortalecer a cidadania, não aquela que parece ser apenas um lamento fúnebre entoado por que foi enganado pelos políticos, como é comum se ver nesses tempos bicudos, mas uma que fiscalize, dentro do que a legislação prevê, as ações que visem à melhoria da qualidade de vida de todos e não aquelas em que o regozijo fica apenas com o arauto de determinada paroquia eleitoral.

 

Fiscalização

Dentro dessa perspectiva é que compreendo que, a exemplo do que fez o vereador Francisco José Mendes, Tiquinho (PSDB) ao recorrer ao Ministério Público para que a parceria firmada entre a Prefeitura e a Funepe fosse investigada. É bom lembrar que na época, o prefeito era o petista João Luís dos Santos (PT) e foi um banzé só, inclusive com vereadores petistas indignados com a solicitação que o peessedebista havia feito. Se isso foi lá atrás, mas fundamentava a ação de Tiquinho na condição de fiscalizador dos atos do prefeito, hoje, quando o vice-presidente do legislativo, Evandro Tervedo Novaes – eleito pelo DEM com 622 votos – solicita a averiguação se há legalidade na ação do prefeito que nomeou, para cargo de confiança, uma secretária que tem grau de parentesco com o seu vice, não pode ser visto como algo diferente ou que pode ser fruto de retaliação, até porque o papel do vereador é fiscalizar os atos do chefe do Executivo. Desta forma, ponto para Evandro Tervedo e pronto e que seja investigado: não se constando equívoco, a vida segue, se ferir os preceitos legais, os reparos precisam ser feitos, ou melhor, corrigido. Por hoje é só pessoal, na próxima semana pretendo tratar do passo atrás dado pelo vereador Reginaldo Sacomani, Nardão Sacomani – eleito pelo DEM com 616 votos – no que diz respeito ao atroz desejo de se ter oficializado, portanto, custeado pelos cofres públicos um quantum de assessores aos legisladores. E-mail: gilbertobarsantos@bol.com.br, gilcriticapontual@gmail.com, social@criticapontual.com.br. www.criticapontual.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *