Olhar Crítico

Política

Peço licença àqueles que leem dominicalmente os meus aforismas, para tratar de um assunto pra lá de polêmico: a política local. Todavia, o meu enfoque será sob a perspectiva do filósofo inglês, John Locke (1632-1704), sobre quem venho escrevendo algumas coisinhas alusivas ao seu pensamento. Volto ao pensador Seiscentista justamente porque os seus escritos datados do século XVII dizem muita coisa sobre o Brasil e também as questiúnculas envolvendo o cenário de Terra de Maria Chica, localidade em que, a cada dia que passa, novas pérolas surgem principalmente as que marejam do Legislativo e do Executivo. Senão vejamos!

 

Governar

No § 131, do capítulo IX, o filósofo inglês afirma que “seja quem for que detenha o poder legislativo, ou o poder supremo, de uma comunidade civil, deve governar através de leis estabelecidas e permanentes, promulgadas e conhecidas do povo, e não por meio de decretos improvisados”. Embora a obra de onde foi extraído esse excerto, tenha sido publicada em meados da segunda metade de 1600, essas observações são úteis para pensarmos o que vem ocorrendo em Penápolis, principalmente no âmbito do legislativo. Conforme amplamente divulgado por este jornal, há uma enxurrada de ações solicitando que o presidente interino da Câmara, Evandro Terverdo Novaes (DEM), apeie do assento em que está. Conforme conta na matéria que estampou a edição da última quinta-feira, há elementos suficientes para que o mesmo, de acordo com as leis votadas e promulgadas em nome do povo, não permaneça onde está!

 

Perseguição

É interessante notar que o vereador enunciado no aforisma anterior, atribui tudo isso a perseguições políticas, bem ao estilo das personagens jorgeamadianas e também aquelas que pululavam o seriado O Bem Amado e o folclórico Odorico Paraguaçu e os seus finalmentes, entretantos e deverasmentes – criaturas do dramaturgo Dias Gomes. Tudo bem, pode até ser, principalmente se levar em conta que os amigos de ontem são os inimigos de hoje que lhe jogam pedras todos os dias, além de dar-lhe a pecha de Judas Iscariotes, tudo porque não votou pelo cabresto e sim pela sua consciência, que pode ter mudado da noite para o dia, como muitos dizem ser o viés dos políticos brasileiros. Mas e a legislação? O que diz a letra fria da lei? Será que ela também persegue os representantes do povo, a ponto de os equívocos passados, que provocam inelegibilidades sentenciadas pelos togados, se tornarem irrelevantes? Eis as duas perguntas que não querem calar. Volto a frisar: Machado de Assis que tinha razão – antes de se mudar as leis, é preciso alterar o comportamento do homem, principalmente do político profissional e do vir a ser!

 

Desfalques

Bom! Se a coisa na Câmara de Vereadores caminha como “o diabo gosta” – nos dizeres populares – ou seja, muita peleja que relembra o título do clássico de Glauber Rocha – Deus e o Diabo na Terra do Sol – imagina como andam as questões lá pelos lados do Paço Municipal. O prefeito interino Rubens Bertolini (SD) já começa a enfrentar desfalques em sua equipe que se encontra da mesma forma que ele, isto é, de maneira provisória. Um engenheiro não aguentou, quem sabe lá, a ausência de um projeto de governo e “pediu o boné” e seguiu o conselho do poeta Manuel Carneiro de Souza Bandeira Filho (1886-1968) e foi-se embora para a sua Pasárgada, onde poderá ser amigo do rei porque aqui em Penápolis não deu certo! Não bastasse isso, Bertolini implora para que o resto de seu séquito de assessores não abandone o barco e vá viver na ilha com Robinson Crusoé, personagem do romance homônimo e escrito pelo inglês Daniel Defoe (1660-1731). Para o crítico literário inglês, Ian Watt, Crusoe age como se fosse uma criatura lockiana.

 

Avinagrado

Para avinagrar o seu mandato-tampão – que deve se arrastar na medida em que o ex-prefeito acalenta e azeita a empada de seus asseclas, diante da possibilidade de o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Gilmar Mendes, dar voto favorável à sua petição e devolva o seu registro de candidatura e junto com ele, os mais de 17 mil votos – o prefeito enfrenta forte rejeição dentro do seu próprio partido Solidariedade. No meio da semana que se terminou ontem, o grupo que circunda o sindicalista Cristiano Alves de Souza Cruz, se reuniu para definir como se posicionará diante da investida do chefe do Executivo querer disputar as novas eleições – isso se o TSE e seus togados não mudarem o que já dado e sentenciado. Ficou acertado que Rubinho pode tirar o “cavalo da chuva” – como se diz no jargão popular – se pensa que o seu partido estará fechado com ele nesse seu desejo que, diante da recusa de sua agremiação, pode transformá-lo em uma espécie de Dom Quixote – personagem do clássico espanhol Dom Quixote de la Mancha, escrito pelo espanhol Miguel de Cervantes (1547-1616) – penapolense.

 

Encontro

Já que a temática é o Solidariedade – partido que está rachado, pois há uma ala que quer marchar junto com o PSDB e a outra ser a fiel escudeira do atual prefeito – uma nova reunião foi agendada para o próximo dia 3 de março, tendo como pauta principal a questão da provisória da legenda em Penápolis. O evento será realizado na residência do sindicalista Cristiano, na Rua Geraldo Moreira, 10 – residencial São Francisco. Os organizadores esperam a presença de todos os filiados, inclusive do chefe do Executivo, que esteve ausente na anterior, quando foi sedimentado o rechaço ao seu nome para o vindouro pleito e desta forma, por fim às lamurias de quem foi barrado pela força dos tribunais que atentou para os dispositivos da lei. O resto diz respeito ao mundo da hermenêutica e eu não pretendo me enveredar por esse caminho no momento, mesmo porque a capital federal, e suas instituições, criadas para assegurar o desejo do homem que está reunido em sociedade, já deram provas de que as leis, às vezes, divergem de seus guardiões.  Fico por aqui, na próxima semana abordarei outros temas, entre eles, a participação do Colégio Futuro no programa Pânico na TV. E-mail: gilbertobarsantos@bol.com.br, gilcriticapontual@gmail.com, social@criticapontual.com.br. www.criticapontual.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *