Olhar Crítico

Qualificação

Começo meus olhares de hoje parabenizando a minha amiga, a administradora pública e funcionária de carreira do DAEP, Silvia Mayumi Shinkai de Oliveira, pelo ingresso no mestrado profissional em rede nacional na área de Gestão e regulação de Recursos Hídricos. O curso será realizado na UNESP (Universidade Estadual Paulista) – a mesma instituição onde Silvia fez graduação em Administração Pública no começo da década de 90 na mesma época e unidade em que este colunista fazia Ciências Sociais – campus de Ilha Solteira. Entendo que, sendo Penápolis modelo para o Brasil e a nova mestranda atuando no Departamento de Água de Penápolis, os seus colegas de turma irão compartilhar-lhe a experiência. E Penápolis ganhará mais uma profissional gabaritada para o setor.

 

Empreendedorismo

Seguindo esse caminho das vitórias, ainda mais quando ela chega para quem sempre batalhou – quiçá as adversidades e pedras que aparecem ou são colocadas em nossos caminhos – estendo aqui as minhas congratulações dadas à Silvia ao professor e empresário do ramo educacional, Bruno César de Souza. Para quem não sabe, ele é proprietário da escola UP/Objetivo Pré-Vestibulares e acaba de dar um significativo passo para se estabelecer de vez nesse ramo que tem como objetivo preparar crianças e adolescentes para o tão competitivo mercado de trabalho brasileiro e mundial. O fato, que é digno de nota, diz respeito ao início das obras do prédio em que a instituição se instalará definitivamente, ou seja, a sua sede própria. Sendo assim, parabéns ao novo empreendedor da cidade que mostra que, enquanto uns não querem ou colocam empecilhos, o sucesso chega para aqueles que trabalham em silêncio, buscando beneficiar sempre, antes de si, o seu semelhante.

 

Poéticas

Para quem gosta de brincar com o vernáculo, dando múltiplos significados à escrita e compreender os diversos sentidos que aquele que se propõe a usar as letras para se manifestar, de forma simbólica ou não, ou quem sabe, para um simples exercício de retórica como forma de comunicar ao mundo como o está enxergando e absorvendo sua beleza e separando-a das moléstias sociais, muitas das vezes, provocadas pelo agir humano pautado pela inveja, cobiça e corrupção, eu acredito que podem acessar uma nova página na rede mundial de computadores e se deleitarem um pouco com uma escrita que promete, já que no momento é profunda, com o burilar das narrativas e outras enunciações que se enveredam pela compreensão humana. O endereço para os interessados nessa composição poética é http://ncronicasdovazio.blogspot.com.br/. Espero que os leitores dos meus aforismas gostem.

 

Leitura

E já que o assunto é palavra e a forma como a escrita pode ser utilizada pelos viventes para se comunicar com o universo exterior, dando sequência na conversa que mantive com aquele interlocutor que respaldou o meu artigo Reforma política? Onde e quanto? [http://criticapontual.com.br/site/2016/08/18/reforma-politica-onde-e-quando/] – publicado nas páginas do INTERIOR da última quinta-feira, externo aqui que também fui interpelado sobre o que andava lendo nesse momento em que os noticiários políticos, esportivos e eleitorais consomem o cotidiano daqueles que se propõem a pensar o Brasil, portanto, não sobrando tempo para enveredar pela literatura, cujos enredos nos abrem portas históricas, sem as quais acessaríamos, conforme nos diz Marcel Proust em seu livro Sobre a Leitura. Disse-lhe que, fora às leituras analíticas relativas ao meu campo profissional, debruçava-me sobre as páginas que compõe a obra de José de Alencar Cartas a favor da escravidão; as linhas tecidas por Jean-Paul Sartre presentes no romance A idade da razão e também do romance Campo de Sangue, tecido pela escritora portuguesa Dulce Maria Cardoso. Acho que é isso ai, já que as três obras possuem suas singularidades, tendo muito a dizer àqueles que se predispõem a lê-las.

Política

Deixando o campo literário para outro momento e me enveredando pelo universo da política, como não poderia deixar de ser – já que é de praxe todos os domingos aqui nas páginas INTERIOR, quiçá algum impedimento de força maior -, fiquei intrigado com os ventos que sopram do processo eleitoral em Alto Alegre, cidade vizinha à Terra de Maria Chica. Por que a perplexidade, para não dizer, questionamento? Aquele munícipio – até onde sei – nas últimas duas décadas foi marcado por renhidas disputas entre duas forças, sempre recheada de diz-que-me-diz e interpelações na Justiça Comum e Eleitoral. Portanto, conforme este jornal noticiou na última sexta-feira, haverá apenas uma chapa concorrendo à sucessão da prefeita Helena Berto (PV) e, por incrível que pareça encabeçada por ela mesma, ou seja, não haverá concorrência. No entanto, até bem pouco tempo atrás, tinha um político, ex-presidente da Câmara da cidade que afirmava ser o adversário dela, inclusive com denúncia na Justiça por conta de suposto uso indevido de recursos públicos em uma viagem que a prefeita fez a serviço do município. E agora, como é que fica? Aliás, não fica! Ou sabe-se lá o quê!

 

Campanha

Se lá em Alto Alegre a coisa caminha para o consenso, aqui a disputa pela sucessão do atual alcaide promete esquentar nos próximos dias.  Até o momento em que esses aforismas eram confeccionados, todos os postulantes ao cargo máximo da cidade estavam ansiosos para saber sobre os registros das candidaturas de seus concorrentes, mais especificamente do atual prefeito que tem uma sentença deferida pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo oriunda de problemas na época em que este presidia a Câmara de Vereadores, problemática já apontada aqui por este colunista. Mas enquanto a coisa não se definia lá pelos lados da Justiça Eleitoral local, todos os candidatos a chefe do Executivo e seus respectivos vices associados aos filiados dos partidos coligados ou não, se desdobravam para colocar na rua e na boca do eleitorado o seu nome e o que pretendem fazer, caso conquistem a consciência do cidadão eleitor, seja aquele acostumado a cobrar de sua mercadoria política ou não. E-mail: gilbertobarsantos@bol.com.br, gilcriticapontual@gmail.com, social@criticapontual.com.br. www.criticapontual.com.br.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *