Olhar Crítico

palestra com Ana Tercia (1)

Projeto contou a presença da atleta paraolímpica, Ana Tércia

Educação

Embora estejamos em pleno recesso escolar, seja nas unidades públicas municipais, estaduais ou particulares, sempre é bom lembrar o trabalho daqueles que desenvolvem suas atividades pedagógicas no sistema educacional brasileiro que, ainda deixa a desejar quando se faz comparação com outros países avançados, ou em pleno desenvolvimento. Desta forma, começo meus olhares deste domingo referenciando a EE “Prof. João Teixeira Sampaio” que iniciou suas atividades esse ano, mas já desenvolve trabalhos significativos para o seu corpo discente e toda a comunidade em seu entorno.

 

Olimpíadas

Como o Brasil – para delírios de uns e ojeriza de outros – respira Olímpiadas, a equipe gestora da nova unidade – cujo nome reverencia um cidadão que dedicou a sua vida à educação e a arte de transformar informação em conhecimento – realizou, na condição de encerramento do semestre letivo, o projeto “Jogos Olímpicos”. O principal objetivo foi o de integrar a escola com a comunidade ao seu derredor. “Através de estudos e pesquisas, foram confeccionados maquetes, cartazes e banners contando a história dos jogos olímpicos e paraolímpicos”, explicou a direção da unidade que oferece ensino fundamental e médio.

 

Participantes

Além das pesquisas, destacou-se a importância dada às atividades físicas e, nessa perspectiva, foram realizadas palestras com as atletas paraolímpicas, a penapolense, Ana Tércia (foto) e Jaqueline Monteiro e também Maurício Pavan. Durante a execução do projeto, de acordo com a equipe dirigente, foi apresentado um vídeo evidenciando o maratonista de Penápolis, Solonei Silva e os nadadores Evandro, Daniel e Lucas, objetivando incentivar os alunos à prática esportiva. “Todos da comunidade escolar estão de parabéns pelo excelente trabalho desenvolvido, fazendo da escola um ambiente agradável e humanizado”, finalizou.

Fênix

Deixando o universo educacional por um momento, já que a disputa eleitoral está se avizinhando e o cenário tornando-se interessante para aqueles que analisam a sociedade a partir de seu comportamento político-ideológico – mesmo que em alguns casos não há legendas escudadas em princípios ideológicos, mas sim em projetos de poder e não de governo e ai temos um vasto caminhão de exemplo da transformação de partidos em feudos particulares. Sendo assim, é significativo o destaque que deve ser dado a Ricardo Castilho, atual vice-prefeito e um dos pré-candidatos à sucessão do atual alcaide. Muitos dos seus adversários acreditavam, ou até mesmo acalentavam secretamente o desejo de que o experiente político tivesse aposentado o trebelhar político, mas eis que surge o advogado, como a Fênix e, caso seja sacramento o seu nome na convenção que o PV realizará no próximo dia 30, será um páreo duro para os adversários, ainda mais aqueles que se creem os donos da verdade, entoando mantras ludibriadores dos eleitores pouco afeitos ao exercício da política, como a arte das possibilidades, conforme nos explica os mais diversos pensadores políticos, como Nicolau Maquiavel.

 

Trebelhar

Se por um lado, temos o PV vindo forte e, quem sabe, com chapa puro sangue, como se costuma dizer no jargão da política nacional, por outro há o PSB – aquele partido que muitos propalaram que ia azeitar a candidatura do atual prefeito, mas sabe-se que tudo não passou de boataria desenfreada, de acordo com informações dos próprios filiados à legenda em Penápolis – que também deverá vir forte. Sua convenção está marcada para o dia 30 e deverá ratificar o nome de Carlos Alberto Pizani, “Carlinhos Baiano” como candidato à sucessão do atual mandatário, tendo como vice na chama, o médico oftalmologia João Batista.  Sendo assim, enquanto PSB e o PV caminham para o pleito de Outubro, o PT, conforme eu havia aventando em minha página http://criticapontual.com.br/site/2016/07/10/olhar-critico-33/, terá candidatura própria, como quer vários de seus filiados. O desejo reside no fato de que, para esses filiados, o momento é de reconstrução partidária.

Canto da sereia

Se PT, PSB, PV já trabalham com seus prováveis candidatos ao Paço Municipal e um séquito de postulantes às 13 cadeiras no Legislativo, o PSD – primeiro a lançar um pré-candidato a prefeito: trata-se do ex-presidente da Câmara, Caíque Rossi que, no afã de alcançar o objetivo e semelhante às empresas multinacionais foi agregando políticos que se creem bons de voto – acredita-se que agora está com medo de ter caído no canto da sereia homérica e pode levar a todos para o fundo do Oceano, mesmo porque, contrario a epopeia homérica, Caíque Rossi como timoneiro dessa embarcação achou que não precisava tapar os ouvidos e nem se atar ao mastro do navio para fugir da sanha encantadora da sereia política que atrai aos mais desavisados para o trono do poder localizado no fundo dos setes mares.  Dito de outra forma: deixando a ficção e a mitologia de lado, sabe-se que a ex-legenda do atual alcaide tem dificuldades para conversar com outros partidos e tenta de todas as formas uma coligação com o PV, contudo, de acordo com o que já externamos aqui: sem chances, ainda mais porque dentro do PSD há desafetos políticos de vários integrantes do Partido Verde.

 

Folguedos

Com muitos folguedos, abraços, diálogos e historicidade e carne na churrasqueira, o atual chefe do Executivo anunciou a sua pré-candidatura à sua própria sucessão, tendo como futuro vice, o ex-vereador Carlos Alberto Feltrin (PMDB) – até onde se sabe cotejado por vários partidos da cidade, inclusive o PT e o PSD. Até ai nada de mais, mesmo porque o PSDB está na parada para tentar voltar ao cargo máximo da cidade por intermédio das urnas – o destaque se dá porque o presente prefeito não era da legenda e ingressou depois provocando um enorme racha entre os peessedebistas e todos sabem, portanto, não tem porque ficar aqui ressaltando essa história, contudo, a que se registrar aqui que a chapa terá que passar pelo crivo partidário, mas, e, sobretudo, pela letra fria da lei, mais especificamente a Lei 64/90 – a chamada Lei da Inelegibilidade e também os dispositivos que constam na Lei da Ficha Limpa.

 

Legislação

É preciso evidenciar que não é opinião deste colunista, mas sim o que a legislação versa, pois com a condenação ocorrida no Tribunal de Contas do Estado e também com a decisão do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, o atual prefeito terá dificuldades em registrar a sua candidatura, mesmo ele dizendo reiteradas vezes, que recorrerá até a última instância (STJ/TRE/TSE), inclusive na nova condenação determinada pelo TCE em virtude de supostas irregularidades cometidas na contratação de empresa para efetuar capinação e limpeza da cidade. De acordo com o Tribunal – órgão colegiado para fins de inelegibilidade – teriam sido gastos R$ 2.474.954,17, segundo informou matéria dum jornal regional. Voltarei à questão em breve, para o momento deixo-vos caros leitores para percorrer as páginas do livro Cartas de Erasmo ao Imperador D. Pedro II, de autoria do escritor e político cearense, José de Alencar. Quem tiver curiosidade, o livro pode ser adquirido gratuitamente no site da Academia Brasileira de Letras. Por hoje é só: gilbertobarsamtos@bol.com.br, social@criticapontual.com.br, gilcriticapontual@gmail.com e www.criticapontual.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *