Olhar Crítico

Prevenção

Não poderia ser diferente, portanto, começo meus olhares dominicais parabenizando a direção do colégio Futuro/COC por, novamente, sair na frente ao criar projeto constante de prevenção ao uso de substâncias entorpecedoras. Todos são cônscios dos problemas que o mundo das drogas vem ocasionando às mais diversas famílias brasileiras, independentemente do pertencimento social, pois não se pode tapar os olhos e achar que os malefícios estão apenas longe de seus domicílios. Sendo assim, é preciso observar que o traficante estará sempre à espreita para capturar mais uma vítima de sua sanha por dinheiro fácil. Desta forma, a prevenção continua sendo o melhor remédio, e como se diz no jargão popular, todo cuidado é pouco. Portanto, pais cuidem de seus filhos e não terceirizem a educação de sua prole. As escolas têm como função ajudar os alunos a transformarem informação em conhecimento, educação moral e ética começa dentro dos lares!

 

Aplicativo

E já que a temática é educação, ressalto que em breve um estudante do Futuro deverá lançar um aplicativo para celular que auxilia os alunos a realizar atividades no mundo da matemática. No momento, o trabalho que está em caráter embrionário, contudo, em se concretizando a empreitada, trarei novas informações sobre essa ferramenta, mas para o momento, convém reforçar que a escola vem fazendo a sua parte, todavia, é preciso mais e o complemento, para não dizer, a razão sine qua non de todo trabalho pedagógico começa dentro das casas por intermédio das famílias, sobretudo, nos primeiros passos visando à socialização, o que nós, cientistas sociais, chamamos de socialização primária, a partir da qual, aquilo que pode ser visto como “natural”, ou seja, o adolescente ser influenciado pelos amigos fora do ambiente domiciliar, deve ser desnaturalizado e observado como consequência de equívocos cometidos nos primeiros passos dados para se tornar um adulto social.

Boatos

Deixando a esfera educacional e preventiva para outro momento, passo a me concentrar agora no universo da política, especificamente no âmbito local, em tempos eleitorais a boataria corre solta. Uma delas diz respeito à suposta desistência de Carlinhos Baiano (PSB) em disputar a sucessão do atual prefeito em prol da candidatura deste. Em conversa com o empresário e pré-candidato, este me afiançou que não existe tal hipótese e que, caso seu nome seja confirmado para a convenção do partido, que já está marcada, disputará o pleito. Para ele, tudo não passa de dor-de-cotovelo de quem não conseguiu um lugar ao sol no interior da legenda que lhe garantirá, caso seja a vontade dos filiados, a participação no pleito de Outubro.

 

Reunião

Se por um lado, o PSB continua firme em seus propósitos eleitorais, o mesmo não se pode dizer do PMDB. Informações extraoficiais dão conta de que na noite da última quinta-feira, 23, a cúpula partidária se reuniria para decidir se confirmava ou não o nome do ex-secretário do ex-prefeito João Luís dos Santos (PT), Carlos Alberto Feltrin à condição postulante a vice-prefeito na chapa que deverá ser encabeçada pelo ex-presidente da Câmara, Caíque Rossi, o mais novo arauto do PSD local. De acordo com os ventos soprados no ouvido deste colunista, ao que tudo indica, não haverá dobradinha PSD/PMDB sob o auspício do ex-prefeito petista e o procurador-jurídico da Câmara, Marcio Reis. A questão é complexa, pois o PSD está procurando um sócio na sua empreitada, mas está difícil encontrar quem queira servir de trampolim para o seu postulante principal. Parece-me que não há nenhuma legenda disposta a dançar a quadrilha com o voto de minerva da CIP e, tendo ainda sobre si a pecha de representante no legislativo que engavetou pedidos da população. Contudo, aguardemos os minuanos que sopram das articulações políticas.

 

Sem chances

Um desses partidos consultados por Caíque Rossi foi o PV, conforme já aventei aqui em outros aforismas, mas a rechaça por parte do partido seguiu o desejo dos filiados que trabalham na elaboração das propostas de governo e não de poder que serão apresentados à população durante a campanha eleitoral, conforme prevê a legislação. Sendo assim, os Verdes realizam semanalmente reuniões com os correligionários que pensam em disputar uma das 13 vagas na Câmara que serão colocadas à disposição dos postulantes à representante da população. O trabalho realizado não visa apenas ação de pedir voto, mas também a de explicar a importância da participação política e o verdadeiro significado do voto, pois as consequências duram 48 meses! Desta forma, o Partido Verde, ao contrário de outras legendas, segue unido para a sua convenção agendada para o final de julho.

 

Dissidência     

Não posso deixar de ressaltar aqui a marcha dos dissidentes que se desenha dentro do PT. Sabe-se que no último dia 16 de junho, houve uma reunião política na residência de um integrante do Partido dos Trabalhadores que acompanhou o petista João Luís dos Santos durante os oito anos em que este esteve à frente da administração municipal, mas, por incrível que pareça, nenhum integrante da chamada ala mais a esquerda do partido, ou se preferirem, petistas históricos, participou do encontro. Até ai tudo bem, mesmo porque os filiados a esta legenda estão acostumados com os rachas no interior da agremiação, o que é democrático e significativo para a instalação duma cultua político-partidário-ideológica. Contudo, interessa-me apontar aos meus leitores dominicais que a ausência desses filiados pode significar que os cardeais do partido não falam em nome do PT, mas sim de interesses privados, para não dizer próprios, já que a temática nesse encontro foi vaticinar o nome de Feltrin na chapa de Caíque Rossi, mas sem o aval do PMDB, conforme apontamos acima.

 

Barcaça

E o PSDB, como fica? Na iminência de ver o seu mais novo arauto ter o seu desejo encurtado pela Justiça Eleitoral, de acordo com a Lei 64/90, ao que tudo indica pode estar como aqueles carrinhos dos parques de diversão chamados “bate-bate”. Anunciaram a possibilidade de o presidente da legenda Benoninho ser vice do atual chefe do Executivo, contudo, esse já começa a declinar da empreitada e a tendência é não ocupar a barcaça do atual alcaide. Sendo assim, como é que ficará a sua própria sucessão, caso a Justiça Eleitoral não lhe dê registro? Some-se a isso a aceitação parte do juiz da 4ª Vara do Fórum, Heber Gualberto Mendonça, da ação de improbidade administrativa proposta pelo Ministério Público. A ação é relativa aos supostos desvios na plantação das gramas esmeraldas. Então, enquanto as esmeraldas e suas sentenças não chegam o PSDB, para evitar a ação de tiriricas orgânicas, deve ser precisa ágil! Do contrário, o barquinho ficará a deriva no mar eleitoral. É isso ai, mas na próxima semana enfocarei novas denúncias que estão chegando ao MP tendo o atual mandatário como denunciado. E-mail: gilbertobarsantos@bol.com.br, social@criticapontual.com.br, gilcriticapontual@gmail.com. www.criticapontual.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *