Olhar Crítico

Titulação

Começo os meus olhares dominicais, os últimos deste mês dedicado às mães, parabenizando o meu amigo, o engenheiro e professor universitário, Eder Granato, pela conquista do título de doutor em Energia na Agricultura. A outorga foi concedida pela Faculdade de Ciências Agronômicas da UNESP – campus de Botucatu. O enfoque de sua tese – é preciso evidenciar que o assunto a ser desenvolvido pelo doutorando deve ser inédito – foi geração de energia pela biodigestão da vinhaça. Com esse diploma de doutor, posso dizer que a cidade vai aumentar o número de profissionais com alta qualificação científica e o nível da política deve ser elevado, eliminando-se o jogo sujo e baixo dos últimos tempos!

 

Doutor de fato

Sendo assim, é possível especular que, caso Eder seja sacramentado pelo PV como candidato da legenda para disputar a sucessão do atual prefeito, o pleito terá um doutor de fato e não um douto que gosta de ser chamado de “seu dotô!”, sem, no entanto, ter feito doutorado. Claro que no rol de secretários do atual prefeito tem um doutor em biologia, todavia, esse não pretende disputar cargo eletivo agora em 2016 – pelo menos é que se acredita ocorrer, mas como no universo das nuvens, no mundo da política o cidadão observa e a situação é uma e, quando volta a olhar o mesmo quadro, o panorama já mudou.

 

Meritocracia

Em se confirmando, via convenção partidária, o nome do engenheiro como cabeça de chapa ou, vice a partir duma coligação com outra legenda, entendo que o mais novo doutor da cidade possui qualificação para ser um gestor e ofertar à população o que já vem fazendo na condição de professor do IFSP campus de Birigui. De qualquer forma, a outorga concedida por uma das mais importantes instituições de ensino superior do Brasil – UNESP [Universidade que me abriga desde a graduação] demonstra que ainda há espaço para a meritocracia no Brasil, em detrimento da politicagem partidária que acostumamos a ver nos últimos tempos, pois se coloca em primeiro lugar o compadrio partidário em detrimento da qualificação técnica. E agora no momento eleitoral, será possível observarmos a adjetivação de “doutor” para quem nunca fez doutorado. Para este, reservo-lhe o título de “douto”.

 

Qualificação

E já que estou abordando a questão de qualificação, parabenizo também uma leitora assídua dos meus olhares: a mais nova penapolense, Arlete Sebrian. O seu filho, o historiador e professor da Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL), Raphael Nunes Nicoletti Sebrian, acaba de receber o título de doutor em História Social pela USP. A tese, intitulada Uma revista da ditadura à democracia: cultura e política em Punto de Vista (1978-2008), pode ser encontrada no site http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-16052016-152449/pt-br.php. A minha cópia já se encontra aqui e a leitura iniciada, de forma que em breve tecerei mais comentários sobre o seu conteúdo. Para o momento, parabenizo a leitora dos meus aforismas dominicais pela outorga conquistada pelo filho historiador.

 

PT/PSD

Deixando para outro momento as abordagens sobre qualificação técnica de alguns dos penapolenses e adentrando ao mundo da política, ressalto aqui que ao que tudo indica, o PT deve mesmo fazer uma dobradinha com o PSD do ex-presidente da Câmara, Caíque Rossi que postula suceder o seu padrinho político, o atual mandatário. A minha assertiva reside no fato de que, na última sessão da Câmara, muitos petistas, principalmente da diretoria da legenda local, estiveram no legislativo para conversar com o desafeto do atual prefeito. Em se confirmando a parceria, o ex-prefeito João Luís dos Santos (PT) pode mesmo nem sair candidato ao cargo máximo, limitando-se a ser vice de Caíque ou ser o articulador político da parceria PSD/PT. Mas como eu digo sempre, aguardemos o trebelhar político local e as cenas dos próximos capítulos da novela eleitoral penapolense.

 

Calvário

Mas enquanto os novos capítulos não são exibidos, fiquemos com o calvário do chefe do Executivo que se crê elegível até que se prove o contrário. Entretanto, o alcaide e arauto do PSDB de Penápolis afirma que, caso o seu registro não seja concedido pela Justiça Eleitoral, haverá recursos nas instâncias superiores, conforme a legislação prevê. Todavia, chamo a atenção para o fato de que, em período eleitoral, o TRE (Tribunal Regional Eleitoral) e TSE (Tribunal Superior Eleitoral) trabalham em ritmo acelerado. Portanto, se o atual mandatário acha que poderá disputar o pleito escudado numa liminar, pode ser que a coisa não ocorra desta forma, e o seu registro não seja concedido. Nesse caso, como fica o seu PSDB?

 

Plano B

A pergunta reside no fato de a legenda estar ou não preparando um plano B, pois tudo pode acontecer e o gestor do momento ter inviabilizada sua candidatura. Conforme informações levantadas por este colunista junto à equipe dirigente do PSDB, é bem provável que, caso isso ocorra, o nome a ser escalado é o da presidente do Fundo Social de Solidariedade, Virtude Martins Fonseca, a Tudinha que acaba de receber o título de cidadã penapolense. E para vice? Especula-se o ingresso do vereador do DEM, Reginaldo Sacomani, “Nardão Sacomani”.  Mas enquanto a coisa não se desenrola, fiquemos com a Lei 64/90, ou seja, a lei da inelegibilidade. De acordo com artigo 1º, item I, E do código: são inelegíveis para qualquer cargo “os que forem condenados, em decisão transitada em julgado ou proferida por órgão judicial colegiado, desde a condenação até o transcurso do prazo de 8 (oito) anos após o cumprimento da pena”. A referida lei pode ser encontrada no site http://www.tse.jus.br/legislacao/codigo-eleitoral/lei-de-inelegibilidade/lei-de-inelegibilidade-lei-complementar-nb0-64-de-18-de-maio-de-1990.

 

Crença

Há político que acredita que o TCE (Tribunal de Contas do Estado) que sentenciou duas vezes o atual prefeito: a primeira quando este era presidente da Câmara e agora como prefeito, conforme já apontamos aqui por conta de irregularidades na parceira com laboratórios da cidade na execução de exames médicos, não é órgão colegiado. Sendo assim, pode se apelar aqui e alhures como se tem feito, entretanto, ao que tudo indica, já existem casos semelhantes em que políticos não conseguiram registrar suas candidaturas, tendo inclusive recorrido às instâncias superiores e receberam um sonoro não às suas intenções! É isso ai, mas enquanto o atual mandatário se engalfinha com o seu pupilo para angariar a simpatia dos eleitores desavisados, outras legendas começam a desenvolver o seu trabalho, como o PSB que distribuiu entre os seus filiados que pretendem disputar uma vaga para a Câmara, a cartilha do vereador. E-mail: gilbertobarsantos@bol.com.br, gilcriaticapontual@gmail.com, social@critiapontual.com.br. www.criticapontual.com.br.

2 thoughts on “Olhar Crítico

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *