Olhar Crítico

Lixão

Na coluna da semana passada fiz alusão à constituição de um verdadeiro lixão a céu aberto sobre a calçada duma escola pública municipal. Além de apontar o problema, expliquei como a problemática vinha sendo construída desde os festejos natalinos. Bom! A questão foi resolvida na segunda-feira, quando o vereador Luiz Antonio Alves de Oliveira conseguiu acionar os poderes constituídos eleitoralmente e a solução apareceu no começo da tarde daquele dia. Desta forma, informo que o assunto não teve mais delongas, todavia, a que se ressaltar que, mesmo a região tendo dois vereadores, esses não se mobilizaram, pelo menos a informação não chegou até este colunista. Sendo assim, parabenizo Oliveira que deve sair do PSDB – partido ao qual pertence o atual prefeito – para as fileiras do PV.

 

Consciência

Claro que não basta apenas a ação dos vereadores que formam o que designo como “trio de ferro” em defesa dos penapolenses, pois os três – Prof. Luiz Oliveira (ainda PSDB), Ricardinho Castilho (PV) e Francisco José Mendes, “Tiquinho” (ainda no PSDB) – é preciso mais e ai a população tem que fazer a parte que lhe apetece. Não é só transformar o serviço público num balcão de negócios políticos e de interesses particulares. Faz-se necessário mais: todos têm, conforme os preceitos constitucionais, que ser tratados da mesma forma e não convém privilegiar por que foi vereador beltrano que pediu e o “favor” aceito é mais um votinho na base deste que passa o seu mandato defendendo interesses contrários ao dos moradores, como foi o caso da CIP e outras situações como a esdruxula votação na última sessão extraordinária de 2015.

 

Horas-extras!

E já que o assunto é mesmo a Câmara e a fiscalização dos atos do Executivo, documento que este colunista teve acesso e, posteriormente divulgado nas redes sociais, dá conta de que a tal da economia que o atual arauto do PSDB e à frente da Prefeitura propalou aqui e ali não aconteceu na prática. De acordo com a tabela, somente no ano passado, a administração pública dispendeu a bagatela, para uns, dinheirão do povo para outros, R$ 3.493.544,96. Imagina quanto foram gastos mensalmente com esse expediente? Antes de se buscar uma resposta relacionada ao valor exato de todos os 12 meses de 2015, é preciso ter claro que, segundo informações que ventilaram entre os servidores, o chefe do Executivo havia afirmado que evitaria esse tipo de despesas extras. Tudo em nome da economia, ainda mais agora que ele gosta de propalar que se está em tempo de crise, corte disso e daquilo, inclusive os festejos carnavalescos. Os dados estão disponíveis na página que a prefeitura mantém na rede mundial de computadores. Mas ai já não é com esse colunista que vos escreve dominicalmente, caros leitores, e sim com os eleitores e os “amigos do rei” que, logo mais em Outubro quando o alcaide, caso a legislação lhe faculte, tentará a reeleição e os cidadãos terão o poder de volta.

 

Interpelações

Como a temática é crise econômica lá pelos lados do Paço Municipal e alardeada em prosa e verso pelos quatro cantos da cidade, sendo isso um claro reflexo do que vem passando o Brasil em virtude dos desdobramentos do cenário político nacional, em que a base do governo federal, a exemplo do que aconteceu aqui em Penápolis, divorciou-se e ainda diz que a culpa é da oposição, reproduzo aqui a pergunta que é entoada pelos recônditos do município: já que não se tem dinheiro para nada, conforme alardeado, o povo quer saber de onde a prefeitura conseguiu os valores depositados em juízo para pagamento da área que será destinada a instalação de uma indústria do ramo lácteo? A interpelação não ofende a honra e a dignidade de quem quer que seja e nem vilipendia o cidadão investido do cargo público por vontade de 36% dos eleitores no último pleito.

 

Respaldo

O questionamento que a população faz e, eu apenas o estou reproduzindo aqui, tem respaldo nos preceitos constitucionais, mais especificamente os itens IV, V e XIV do artigo 5º da Constituição Federal. Se não vejamos: o primeiro diz que é “livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato”. O segundo informa que “é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além de indenização por dano material, moral ou à imagem” – entendo que aqui não existe agravante porque apenas se esta perguntando e não se afirmando qualquer coisa que se quer. E por fim, a última alínea e, acredito seja a mais importante no caso em tela: “é assegurado a todos o acesso à informação e resguardado o sigilo da fonte, quando necessário ao exercício profissional”. Portanto, os questionamentos do povo estão resguardados pelo direito constitucional! Simples assim!

 

Independência

Caso mesmo o Solidariedade, por força da maioria de seus filiados, caia nos braços do prefeito e o apoie na sua desejada empreitada de ficar mais quatro anos à frente da municipalidade, mesmo tendo tido apenas 36% dos votos válidos e com uma rejeição perto dos 65%, há quem diga que se o sindicalista e homem forte do partido aqui em Penápolis, Cristiano Alves, for instado a disputar uma vaga na Câmara de Vereadores – a exemplo do que aconteceu no passado com o ex-vereador e ex-petista Roberto Torsiano – irá pleitear o voto do eleitorado sem o respaldo do atual alcaide peessedebista. Ou seja, não subirá no palanque do chefe do Executivo e nem pedirá votos a ele, pois diverge da forma como este vem conduzindo seu governo, recheado por denúncias no Ministério Público por conta da boa atuação do trio de ferro na Câmara.

 

Recordações


 

Só para lembrar: esse sindicalista solicitou junto à Câmara a abertura de uma comissão para apurar irregularidades na conduta de um vereador, todavia, seu pedido foi rechaçado pelos representantes da coletividade sob a alegação de que o mesmo não era portador dos direitos políticos, mas pedido semelhante foi encaminhado ao Ministério Público que abriu procedimento investigatório. Vai entender a cabeça do vereador que votou pelo arquivamento! Todavia, a que se recordar que em caso idêntico, a Promotoria conseguiu provar a culpa dum outro político que perdeu seus direitos e foi condenado. Entretanto, esse ex-vereador ocupou cargo na assessoria do atual prefeito e foi elogiado pelo sindicalista como sendo um dos melhores que ocupou aquela secretaria nos últimos tempos. E-mail: social@criticapontual.com.br; gilbertobarsantos@bol.com.br: www.criticapontual.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *